terça-feira, 29 de abril de 2014

Tour du Montejunto (70 Kms)



Depois dos 60 Kms percorridos entre a Azambuja e Mato Miranda, ficou o gostinho e a vontade de aumentar os limites da insanidade! 70 Kilometros? porque não? Vamos la a imaginar o trilho... em linha... ou circular? iniciar mais cedo? tudo questões que se foram apurando e respondendo durante as nossas caminhadas de sábado.

Então concluiu-se que a caminhada deveria ser circular para não estarmos constrangidos com horários de transporte do retorno, que deveria iniciar-se mais cedo de forma a que não terminasse de noite, que o percurso deveria ter subidas e descidas e não ser demasiado plano como o ultimo pois isso tinha-se visto não ser muito benéfico para o equilibro físico e por ultimo que a paisagem deveria ser o mais diversificada possível para tornar a atividade menos monótona...

Convenhamos que com todos estes pressupostos, ficaria difícil escolher a zona e traçar um percurso adequado, mas rapidamente me veio à ideia contornar Montejunto e depois de pensar um pouco verifiquei que era possível neste contexto responder a todos os pressupostos pelo que pus mãos à obra e o trilho nasceu o qual depois de algumas afinações revelou-se um belo trilho que fizemos no dia 26 de Abril ultimo.

Então e para efeitos logísticos e de recuperação depois de uma tão longa jornada, decidimos iniciar a actividade no café "O Preto", nos Casais da Fonte da Pipa nas imediações de Vila Verde dos Francos local que já conhecíamos de outras caminhadas pela carinhosa hospitalidade e excelente gastronomia agradável e despretensiosa!

Às 4:30 da madrugada, após a gentileza da Dona Lina em nos proporcionar um pequeno almoço  àquelas horas impróprias e depois de ter sido efetuada a confirmação das presenças, colocámos os frontais e mãos à obra, saímos da aldeia em direcção a Lapaduços, e por caminhos rurais com os frontais ligados chegámos ao Maxial pela calada da noite... nem vivalma....




Chamada dos Companheiros



Inicio da caminhada de noite



Chegada ao Maxial ainda de noite



Prosseguimos o nosso périplo pelos campos oestinos na face norte do Montejunto e a chuva apareceu para nos acompanhar mas sem grande alarido em pouco tempo se dissipou ainda que mais tarde nos voltasse a visitar e muitas vezes até ao final.


Pelos eucaliptais do Oeste


Encosta norte de Montejunto








Vilar




A face Norte de Montejunto faz parte da região Oeste, com os seu clima atlântico fresco e húmido pelo que a vegetação desta zona é própria deste tipo de clima com baixos nevoeiros e muitos verdes para a vista e foi pela fresca que chegámos ao Vilar pelas 7:45 já com 18 km percorridos e efectuámos a 1ª paragem num dos cafés locais onde aproveitamos para tomar o pequeno almoço da manhã e descansar um pouco mas não muito que apenas dispunhamos de 15 minutos. Aqui juntaram-se mais duas companheiras que nos haviam de acompanhar intencionalmente até aos 60 kms uma vez que no dia seguinte iriam participar no trail de Coruche.


1ª Paragem no Vilar - 18 km



Partida do Vilar com 18 km feitos


Após o tempo previsto partimos de novo pelas vinhas e prados até à povoação de Rocha Forte já no concelho do Cadaval onde chegámos com 30 km percorridos pelas 10:30, onde fizemos mais uma paragem de 20 minutos.


Típica paisagem do Oeste - as vinhas



Belas paisagens bucólicas


Cavalos








Um poço a entrada da Rocha Forte



Café Central de Rocha Forte



Depois de um curto descanso, iniciámos mais uma etapa desta vez pelos eucaliptais a perder de vista até à povoação do Cercal, onde fizemos uma paragem de 5 minutos para recuperação de alguns companheiros e prosseguimos rumo a Tagarro aldeia  a nordeste de Montejunto e entrámos na sua face sul tendo assistido à alteração da vegetação devido ao clima mediterrânico que chega até estas paragens e os eucaliptos deram lugar às oliveiras e sobreiros.



Breve paragem para agrupar



A paisagem começa a mudar para bosque mediterrânico



Encosta nascente





Tagarro



O típico bosque mediterranico









Chegámos a Alcoentre pelas 13:30h com 45 kilometros e fizemos uma paragem um pouco mais longa de cerca de 30 minutos para almoçarmos e retemperarmos um pouco a nossa condição física.






Paragem de almoço em Alcoentre






Recuperámos um pouco, aumentámos o nível de combustível, sorrimos e voltámos à luta! Eles aí vão para mais 15 km da penúltima etapa.





Encosta Sul





















No meio do percurso tivemos que parar 5 minutos para recuperação de alguns que já acusavam algum cansaço, nada de mais mas que requeriam a nossa atenção


  

Paragem de 5 minutos para recuperação

E ainda houve tempo para fotografar salamandras




Durante a marcha aproximamo-nos do Montejunto e iniciámos a subida um pouco acima do seu sopé de onde já obtivemos uma vista fabulosa sobre os campos da Abrigada e pelos prados verdejantes a fazer lembrar os Alpes.

Os campos da Abrigada





  




Chegámos a Cabanas de Torres onde nos banqueteamos com coscorões e pasteis de nata para repor os açucares... Aqui as duas companheiras que entraram no Vilar decidiram acabar com 42 km porque no dia seguinte iriam ter trail (Grande Senhoras!!)


Cabanas de Torres - a despedida das Babes




Em seguida iniciámos a ultima parte do périplo, os últimos 10 kms! já bastante sofridos mas ainda com muito alento a cantar o sole mio!



video




A saída de Cabanas de Torres para a ultima etapa!






O ultimo obstáculo atravessar um ribeiro
 E chegámos!!!!

Chegada ao Café "O Preto"

Esperava-nos em excelente convívio e uma belo jantar!






VIVA OS NOVOS TRILHOS!!!





O dia chegou ao fim  e chegámos ao nosso objectivo, o ponto de partida nos Casais da Fonte da Pipa em Vila Verde dos Francos pelas 8:45h já pela noite onde nos esperava a D. Lina, com um belo repasto de recuperação e um belo de um bolo feito pela nossa companheira Dina para festejarmos e foi com muita alegria e algumas dores e bolhas que confraternizámos e festejamos pois como dizia um companheiro, NÃO É TODOS OS DIAS QUE SE FAZEM 70 KM!!!!!



O grupo em Alcoentre