sábado, 4 de janeiro de 2014

Caminhos Rurais do Oeste até Fátima



Com cerca de 140 km, este Caminho de Fátima partiu do Jerumelo (arredores da Malveira - Mafra) e em 4 etapas passou pela Serra do Socorro, sopé de Montejunto, eucaliptais de Rio Maior, planalto do alto Ribatejo e finalmente atravessando o maciço calcário da Serra de Aire e Candeeiros chegou ao Santuário de Fátima pelo caminho dos peregrinos.

Um percurso exigente e duro mas também pleno de beleza. Convidando ao teste da boa condição física, à introspecção, ao convívio e entreajuda do grupo Novos Trilhos. 

Entre 25 e 28 de Outubro, cerca de 40 km diários nos 2 primeiros dias e de 30 km nos 2 últimos. Desníveis acumulados diários entre os 900 e os 700 metros. 

1º dia – Jerumelo - Casais Fonte da Pipa (Vila Verde dos Francos)

Jerumelo - Grupo Novos Trilhos - A satisfação pelo início de mais uma aventura.

As previsões meteorológicas prometiam chuva, o céu confirmava, e algum tempo depois de iniciada a travessia dos campos agrícolas da região saloia cumpriu-se o prometido, a chuva acompanhou-nos grande parte do dia.

 


  

Passadas localidades como Serreira, Enxara dos Cavaleiros e Portela do Bispo, eis-nos chegados à Ribaldeira, onde se conjugaram o apetite e a pausa da chuva permitindo retemperar ânimos.
  
Ribaldeira
 

Repostas energias, continuámos desfrutando de paisagens, de quadros singulares, de momentos para guardar e recordar.


   


 

Depois ter passado nas proximidades de Penedo, Zibreira, Aldeia Nª Sª da Glória, Ereira, Vila Seca, chegámos a Casais Fonte da Pipa onde íamos pernoitar, estava cumprido o primeiro dia.

Na aproximação a Casais de Fonte da Pipa fomos saudados por um pôr do sol que pintou os campos de outono e dourado.

  

 

Havia que cuidar do equipamento, do físico e do ânimo. A boa disposição sempre presente, a entreajuda e a logística disponível foram essenciais.
  


2º dia – Casais Fonte da Pipa - Rio Maior

Logo ali ao lado em Vila Verde dos Francos estava o encontro marcado com mais dois companheiros que se juntaram ao grupo.

Estivéramos nós por altura da conquista de Lisboa e o franco de seu nome Alardo, a quem Vila Verde dos Francos foi doada como recompensa, estivesse à janela da sua casa apalaçada, ainda hoje contaria que um grupo de mouros estranhamente trajados, entrou na vila cantando em altas vozes os parabéns a você, só se detendo quando encontrou a princesa Dina, presenteando-a logo ali com alegre festa e muitos vivas, e que a princesa só conseguiu acalmar a populaça quando lhes prometeu que partilharia um grande e saboroso bolo.

Estava dado o mote para um dia de caminhada alegre e bem passado.

À medida que o orvalho da noite e a neblina se dissipavam, o dia prometia sol, as paisagens deslumbravam, primeiro a serra de Montejunto depois os eucaliptais a perder de vista.

 




 

 


Depois de mais 40 km percorridos e de termos passado por Vilar, Palhais, Arrabalde, Corrieira, Charco, Rochaforte, Casais da Póvoa e Abuxanas, a aproximação a Rio Maior foi já com luz artificial.

  

Embora a princesa já houvesse pago a promessa, e com distinção, distribuindo o bolo na pausa matutina, o dia não terminaria sem mais uma festa, boas surpresas, boa comida, ambiente agradável e convívio!

Parabéns Dina!
  


3º dia – Rio Maior - Amiais de Baixo (Santarém)


Grupo Novos Trilhos - 3º Dia dos Caminhos Rurais do Oeste até Fátima

Ao terceiro dia iríamos ultrapassar a marca dos 100 km, importava dosear o esforço, pelo que o chefe atribui a responsabilidade de marcar o ritmo às companheiras do grupo.

Também por isso o dia foi tranquilo e muito agradável. O sol foi companhia permanente, a paisagem foi mudando, diminuiu a presença dos eucaliptos, surgiram os olivais, alguns bosques e afloramentos calcários na aproximação à Serra de Aire e Candeeiros.

 

  


Aldeia de Cabos

Vila de Alcanede

Aldeia de Abrã
Depois de passarmos por Cabos, Carvalhais, Alcanede, Espinheira, Abrã, Canal, já se punha o sol quando nos aproximámos de Amiais de Baixo com a Serra de Aire e Candeeiros cada vez mais próxima.

  

A nossa espera estavam mais dois companheiros que partilhariam a caminhada no 4º e último dia e a estadia no pitoresco Hotel Rural de Amiais de Baixo, sem panicar...


4º dia – Amiais de Baixo – Fátima

O dia amanheceu sombrio prometendo chuva e frio, e cumpriu!
Nada que o grupo estranhasse ou que o demovesse do objetivo traçado, 4 dias de caminhada, 140 km, e a chegada a Fátima!

Em grande parte através dos Caminhos de Fátima se fez a travessia da Serra de Aire e Candeeiros.

  

Monsanto


 

Lá no alto apesar do tempo agreste o ritmo manteve-se.

 

Descida para Minde
A boa disposição e a alegria Novos Trilhos foram insuperáveis e essenciais para alcançar o objetivo proposto!

 

 

Ao longo deste dia passámos por Monsanto, Covão do Feto, Minde, Covão do Coelho, Giesteira, Crespos e finalmente chegámos a Cova da Iria e ao Santuário de Fátima.

  

 
 
NOVOS TRILHOS

De outras memorias que as fotos não retêm, ou que aqui não se partilharam, se fizeram os dias, como de polainas com folhos, de colchas floridas, de danças ao som de ritmos latinos imaginados, de muita alegria, de histórias contadas, de experiências partilhadas, de laços que se atam e desatam ao acaso, e de desafios individuais e de grupo superados.

Destes momentos mas sobretudo da partilha se faz a memória dos dias passados em comum, viva os NOVOS TRILHOS por mais uma grande aventura!