sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Salir do Porto




Continuando a descoberta da costa Atlântica desta vez os Novos Trilhos foram até Salir do Porto.

Situada no lado sul da baía de S.Martinho do Porto, a Praia de Salir do Porto, é uma praia fluvial banhada pelo Rio Tornada (ou Rio Salir) que aqui desagua.

Esta praia situada na zona baixa da aldeia tem uma bela vista sobre a barra e sobre São Martinho, divide-se numa parte acessível directamente da aldeia e uma outra que fica na outra margem do Rio, já do lado de São Martinho e das Dunas.

Foz do Rio Tornada

O dia começou sombrio, com a travessia do Rio Tornada, pelo pontão de madeira em direcção a S. Martinho do Porto
 



Pouco depois encontrámos a Linha do Oeste e virámos para sul por entre campos agrícolas e pinhais.

 


Por alturas da Serra do Bouro dirigimos-nos de novo para Oeste em direcção à costa, onde uma cadeia de precipícios separam a serra do Oceano Atlântico. Entre as falhas destes precipícios encontramos praias de rocha, localmente chamadas de Quebradas.

  

 



Apesar do nevoeiro, a boa disposição chamava pelo Sol que tardava em chegar!

 

 

Para que a paisagem grandiosa pudesse ser desfrutada plenamente...


Já de novo rumo a norte, a vegetação torna-se mais rasteira e o relevo mais exigente para os caminheiros.


Encontrámos a seguir diversos trilhos de pegadas de Dinossauros do período Jurássico Superior.

Pegada de dinossauro

Contextos e épocas diferentes a permitir curiosos contrastes!

 

De Quebrada em Quebrada fomos-nos aproximando da Baía de São Martinho.

Entrada da Baía de São Martinho

No promontório, qual guardião, vislumbram-se as Ruínas da Capela da Senhora de Sant’Ana.

Usualmente chamada de “capelinha”, foi erigida na ponta mais afastada de Salir, no cimo da barra que serve de entrada à baía. O seu objectivo era o de abençoar os barcos que partiam de viagem.


  

Grupo Novos Trilhos - Caminhada de Salir do Porto

Deixando a Capela iniciámos a descida para a Alfândega. O horizonte alarga-se em direção a terra,  ao longe a Serra, mais perto a praia de Salir e na baía misturam-se o azul e o verde.


As ruínas da antiga Alfândega que estão situadas nos limites da praia de Salir são um valioso testemunho do importante passado histórico que Salir viveu. Aqui funcionou uma Alfândega que servia todo o concelho e na qual eram reparados e construídos barcos, com madeiras provenientes do Pinhal de Leiria.

 

Rezam as lendas que aqui terão sido construídos alguns dos barcos que participaram na Campanha das Índias de Vasco da Gama e onde foi construída e abençoada a Nau São Gabriel. Hoje só estão de pé as velhas paredes.

Em direção a Salir e à sua praia aproximamos-nos da famosa duna de areia que se avista com o Rio Tornada aos pés.


Aproximava-se o derradeiro desafio para cansar o físico e para alegrar o espírito.

  




Assim chegámos plenos, também de alegria.