quinta-feira, 30 de maio de 2013

Pelas Arribas das Azenhas do Mar


Mais uma aventura na costa sintrense com partida da Praia Grande à semelhança da semana anterior mas desta vez em direcção a norte. 


Praia Grande



Da Praia Grande rumámos ao emaranhado residencial de vivendas e pinhais que envolve a Praia das Maçãs,



Linha do Eléctrico da Praia das Maçãs



Por caminhos de pinhal e frondosas veredas conjugadas com belas clareiras de areal que convidavam à aventura.


Clareira de areal



e dali chegámos a capela de São Mamede de Janas, com a sua estranha arquitetura circular, ao que parece tem uma longa história de sacralidade, remontando as suas origens, pelo menos, ao período de domínio romano, altura em que aqui se terá edificado um primitivo templo circular dedicado à deusa da caça Diana.



Chegada à igreja de Janas








Seguimos depois para o planalto de onde se pode observar o altaneiro Palácio da Pena nos penhascos da velha Serra da Lua (Sintra).





Planalto a norte de Sintra

 

Depois de vários trilhos rurais de peculiar beleza avançamos pelo vale da ribeira do Magoito onde parámos na pequena e bela cascata.



A cascata do Magoito


Em seguida subimos o alcantilado pinhal com uma subida bastante íngreme tendo infletido a marcha para trilhos mais difíceis mas igualmente belos.





Subida com forte inclinação



Mar à vista!



Um pouco de dificuldade...



Chegados às imediações do Magoito descemos à praia através do moderno passadiço de onde se obtém belas vistas até ao areal.



O Passadiço






Uma vez na praia seguimos pelo sopé das arribas até à vizinha praia da Aguda.




Chegada à Praia do Magoito






De onde saímos pela velha escada dos pescadores que apesar dos anos continua forte e segura pese embora o seu aspeto frágil.



A velha escada dos pescadores



Pelas arribas chegámos a pitoresca aldeia de Azenhas do Mar, em cujos limites corre uma ribeira outrora plena de moinhos movidos pela força da água de onde ganhou o nome.


Azenhas do Mar





   
A piscina atlântica


Novamente pelas arribas entrámos na Praia das Maçãs, importante estância balnear sintrense muito frequentada pela população lisboeta onde atravessámos o rio das maçãs num ambiente bastante divertido,


A costa







Passámos as ruínas arqueológicas de um antigo templo romano ao sol e à lua que terá posteriormente sido um ribat (convento de monges guerreiros) da época muçulmana e chegámos ao ponto de partida, a Praia Grande, onde efectuámos os já habituais alongamentos.



Final da caminhada


 

Mais uma actividade deste belo grupo que renasce cada fim de semana e se vai renovando e mesclando com antigos e novos elementos que sempre emprestam um ar fresco às nossas caminhadas!








Até para a semana!