quinta-feira, 4 de abril de 2013

Picos da Malveira em dia de Nevoeiro



Depois de uma noite de chuva e primavera agreste que mais cheirava a inverno, amanheceu o dia envergonhado e envolto em denso e misterioso nevoeiro. Durante a chamada contámos 34 almas e lá partimos rumo aos picos do País Saloio.



 























E como habitualmente em breves minutos estávamos a subir, coisa que o grupo mais gosta de fazer e rapidamente alcançámos o primeiro marco geodésico do cabeço do Jeromelo, onde alguns elementos aproveitaram para plantar uma estaca de carvalho cerquinho, numa atitude de ajuda à preservação da natureza.


 


Seguiram-se os caminhos rurais jeromelenses, uma breve passagem pela aldeia  até à denominada pelos locais serra da escusa.




 E por montes e vales nas imediações de Vila Franca do Rosário fomos trilhando belos recantos a cujo nevoeiro emprestava uma verdadeira atmosfera mística.


 

Entretanto deparando que alguns eucaliptais tinham sido cortados decidimos sair do trilho e partir a aventura de novos picos nunca antes palmilhados e claro esperava-nos uma bela e enlameada aventura...























Sempre com o espírito de entreajuda que nos cacteriza facilmente se ultrapassaram os obstáculos e lá se desbravaram mais uns quantos picos.









Por verdes campos e ondulados montes fomos progredindo e cumprindo a nossa missão.









E chegámos ao que costumamos designar por Lunch Time (2º lanche - almoço) para diferenciar do "Banana Time" (1º lanche), aproveitando o espaço existente no centro de recuperação do  Lobo Ibérico.





As condições climatéricas não quiseram colaborar e foram piorando durante a actividade aumentando o grau de dificuldade mas sem qualquer efeito na motivação e alegria do grupo que continuou como sempre imparável.





No final deixámos um pico por palmilhar... a sua subida com chuva e nevoeiro cerrado seria perfeitamente inutil e a fome apertava pois esperava nos uma grande festa, festa de confraternização pascal e comemoração simultânea da 60ª caminhada do grupo e lá fomos para uma bela e divertida tarde onde não faltaram nem os salgados nem os doces nem a alegria nem as gargalhadas nem tampouco a música!

E por fim, já no final da festa olhámos para trás e lá estava o pico não subido desta vez sem nevoeiro a avisar-nos que esperava por nós! Temos de convencer o Bastão e o Picolé...