sábado, 6 de abril de 2013

Não sei se sabes…

Foto de FR Antunes

Não sei se sabes mas venci o medo!
Procurei um lugar onde me encontrar
Andando à deriva entre a solidão
E o desejo de sentir a terra onde me estendo.
Encontrei, no silêncio crepuscular do dia,
Um abrigo entre ilhas de oníricos planaltos
Onde repousei da viagem que não tem fim.
Despirei os restos do meu corpo desfeito
Em folhas de sama
Que cobrirão o chão quente da minha cama.
Não sei se sabes mas venci o medo!
Vejo em ti todo o mundo que me era ocultado
E esse mundo indicou-me o caminho para percorrer
Vou colhendo entre despojos de sementes de tojo bravo
O fruto virgem duma razão
Para não ter medo de te acolher. 

Joaocasaldafonte